23mar
Por: Brasil de Joelhos Postado: março 23, 2018 Em: Festas Bíblicas Comentários: 0

Do pôr do sol de 30 de março até o pôr do sol de 06 de abril

De acordo com o calendário civil hebreu o ano novo judaico conhecido como Rosh Hashaná ocorre todos os anos no mês de Tishrei (entre setembro e outubro). Mas na bíblia encontramos um direcionamento do Senhor claro e preciso referente à quando se deveria iniciar uma nova estação para o povo de DEUS dentro de seu ciclo espiritual anual. Um novo ano ou nova estação deveria ser iniciado a partir de Pessach (Páscoa) no primeiro mês hebreu conhecido como Nissan ou Abibe. Podemos verificar isso de acordo com os textos a seguir:
O Senhor disse a Moisés e a Arão, no Egito: Este deverá ser o primeiro mês do ano para vocês. – Êxodo 12:1-2
Estas são as festas fixas do Senhor, as reuniões sagradas que vocês proclamarão no tempo devido: A páscoa do Senhor começa no entardecer do décimo quarto dia do primeiro mês. – Levítico 23:4-5
Observem o mês de abibe e celebrem a Páscoa do Senhor, do seu Deus, pois no mês de abibe, de noite, ele os tirou do Egito. – Deuteronômio 16:1

Mas, porque iniciar na Páscoa?

A palavra no hebraico Pessach vem da raiz Pacach que significa passar ou saltar por cima. Podemos de forma resumida nos lembrar o que a bíblia nos relata em Êxodo sobre a primeira festa a ser celebrada.

O povo hebreu estava no cativeiro no Egito por 400 anos, vendo todo o sofrimento deles o Senhor levantou dentre o povo Moisés como um libertador para Israel. Após um grande processo de preparação e treinamento, Moisés foi diante de Faraó para pedir a liberação do povo, mas faraó com seu coração endurecido não os liberou, iniciando-se então um processo de muita afronta contra DEUS e juízo como resposta da parte de nosso Senhor sobre o Egito. Depois de nove pragas que Deus enviara sobre o Egito, a décima e última foi a mais intensa:

O Senhor disse a Moisés e a Arão, no Egito:

Este deverá ser o primeiro mês do ano para vocês. Diga a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa. Se uma família for pequena demais para um animal inteiro, deve dividi-lo com seu vizinho mais próximo, conforme o número de pessoas e conforme o que cada um puder comer. O animal escolhido será macho de um ano, sem defeito, e pode ser cordeiro ou cabrito. Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol. Passem, então, um pouco do sangue nas laterais e nas vigas superiores das portas das casas nas quais vocês comerão o animal.
Naquela mesma noite comerão a carne assada no fogo, juntamente com ervas amargas e pão sem fermento. Não comam a carne crua, nem cozida em água, mas assada no fogo: cabeça, pernas e vísceras. Não deixem sobrar nada até pela manhã; caso isso aconteça, queimem o que restar. Ao comerem, estejam prontos para sair: cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor.
Naquela mesma noite passarei pelo Egito e matarei todos os primogênitos, tanto dos homens como dos animais, e executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor! O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito.
Este dia será um memorial que vocês e todos os seus descendentes o comemorarão como festa ao Senhor. Comemorem-no como decreto perpétuo.
– Êxodo 12:1-14

A morte saltou (Pacach) sobre as casas que tinham o sangue do cordeiro nos umbrais de suas portas mantendo os seus primogênitos vivos, o Senhor libertou o povo da assolação do Egito e de Faraó garantindo-lhes um futuro e o cumprimento de sua promessa, assim estabelecendo um memorial como estatuto perpétuo do ciclo inicial espiritual de todo o povo de DEUS.

Junto a celebração de Pessach o Senhor estabeleceu mais duas solenidades que fazem parte de seu contexto profético: Pães ázimos e Primícias.

Durante sete dias comam pão sem fermento. No primeiro dia tirem de casa o fermento, porque quem comer qualquer coisa fermentada, do primeiro ao sétimo dia, será eliminado de Israel. Convoquem uma reunião santa no primeiro dia e outra no sétimo. Não façam nenhum trabalho nesses dias, exceto o da preparação da comida para todos. É só o que poderão fazer.

Celebrem a festa dos pães sem fermento, porque foi nesse mesmo dia que eu tirei os exércitos de vocês do Egito. Celebrem esse dia como decreto perpétuo por todas as suas gerações. No primeiro mês comam pão sem fermento, desde o entardecer do décimo quarto dia até o entardecer do vigésimo primeiro.

Durante sete dias vocês não deverão ter fermento em casa. Quem comer qualquer coisa fermentada será eliminado da comunidade de Israel, seja estrangeiro, seja natural da terra. Não comam nada fermentado. Onde quer que morarem, comam apenas pão sem fermento. – Êxodo 12:15-20

A festa dos pães ázimos (pão sem fermento) ordenada pelo Senhor, se inicia logo em seguida da Pessach no dia 15 de Nissan, onde de acordo com a bíblia conta-se 7 dias (de 15 a 21 de Nissan) para separar-se de qualquer alimento que contenha fermento. O fermento espiritualmente falando está conectado ao pecado e toda situação de alteração daquilo que esta fora do plano original, pois cresce, contamina e pode transformar (levedar) uma massa inteira (Ser humano corrompido).
Livrem-se do fermento velho, Pessach (Páscoa), para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são. Pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado.
– 1 Coríntios 5:7

A festa das primícias ou primeiros frutos (Bikkurim) ocorria logo após os pães ázimos e esta solenidade festejava o início da colheita da cevada e da contagem do Ômer (feixe / medida da cevada) simbolicamente por 49 dias (ou 7 semanas) para que no qüinquagésimo dia houvesse o início de outra celebração chamada Shavuot (Semanas ou como é conhecida Pentecostes).

Disse o Senhor a Moisés: Diga o seguinte aos israelitas: Quando vocês entrarem na terra que lhes dou e fizerem colheita, tragam ao sacerdote um feixe do primeiro cereal que colherem. O sacerdote moverá ritualmente o feixe perante o Senhor para que seja aceito em favor de vocês; ele o moverá no dia seguinte ao sábado. No dia em que moverem o feixe, vocês oferecerão em holocausto ao Senhor um cordeiro de um ano de idade e sem defeito. Apresentem também uma oferta de cereal de dois jarros da melhor farinha amassada com óleo, oferta ao Senhor preparada no fogo, de aroma agradável, e uma oferta derramada de um litro de vinho. Vocês não poderão comer pão algum, nem cereal tostado, nem cereal novo, até o dia em que trouxerem essa oferta ao Deus de vocês. Este é um decreto perpétuo para as suas gerações, onde quer que morarem. – Levítico 23:9-14

No novo testamento podemos verificar profeticamente que Jesus ressuscitou na Festa das Primícias como primeiro fruto da ressurreição.

Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo as primícias dentre aqueles que dormiram. – 1 Coríntios 15:20

E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado. Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto. – João 12:23-24

Em Pessach verificamos que JESUS é o próprio cordeiro pascal que morreu por nós trazendo a remissão dos pecados e redenção do sistema mundo (Egito) governado por Faraó (Satanás) nos libertando da escravidão e determinando um novo tempo de dependência e intimidade com o PAI.

Você pode celebrar esta festa com sua família celebrando o amor e o poder DELE, pois, no lugar da morte você recebeu a vida, você foi liberto do cativeiro do inimigo!

E a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz; e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz. – Colossenses 2:13-15

por um Brasil rendido a Cristo!
Laertes M. Ribeiro

Trackback URL: http://brasildejoelhos.org/bj/a-pascoa-em-2018/trackback/